DOLOMITA

- Classificação: CARBONATO

- Fórmula química: CaMg(CO3)2

- Dureza: 3,5 - 4

- Brilho: VÍTREO A NACARADO

- Densidade relativa: 2,85

- Clivagem: PERFEITA EM [10-11 ]

- Classe: -3

- Cristalografia: HEXAGONAL

Dolomita é um dos principais minerais carbonáticos, sendo membro intermediário entre calcita (CaCO3) e magnesita (MgCO3). Apesar disso, a substituição entre cálcio e magnésio é apenas parcial, de forma que calcita e magnesita não constituem extremos de uma solução sólida completa. Ao contrário do que acontece com a ankerita (Ca(Fe,Mg,Mn)(CO3)2), com a substituição completa de Mg2+ por Fe2+ . Assim como a calcita, a dolomita é reconhecida pelo seu hábito e clivagem romboédricos e sua dureza (3,5 – 4 na escala Mohs), se diferenciando da primeira por apresentar menor efervescência ao ácido clorídrico. Sua composição consiste em CaO 30,4%, MgO 21,7%, CO2 47,9%. A relação entre Ca:Mg varia entre 58:42 e 47,5:52,5. Ca pode ser substituído por pequenas quantidades de Pb. Mg pode ser substituído por pequenas quantidades de Mn2+ e Zn2+ e por grandes quantidades de Fe2+ . Pode ser associada a Calcita, aragonita, fluorita, barita e siderita, ocorrendo como alteração do calcário (substituição parcial de Ca por Mg). Como calcário dolomítico e mármore dolomítico. Também presente como mineral de filão, principalmente em mineralizações de zinco e chumbo que atravessam o calcário. Sua extensa lista de utilidades passa por: Pedra de construção e ornamental, fabricação de cimentos, magnésia, revestimentos refratários e utilizada nos processos básicos de fabricação de aço. Mineiro potencial de magnésio metálico.

Copyright © 2023 Luís Fernando Silva. Todos os direitos reservados.